Google+ Seguidores

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Grande romã!

Parece uma maçã, 


mas não,


é uma ROMÃ!


E abaixo a mãe:


Não poderia deixar de exibir a responsável por tão sadio, belo e, certamente, delicioso fruto.
Agradecemos...


quarta-feira, 18 de junho de 2014

Mandioca

As ramas que deram origem aos pezinhos de mandioca cujas imagens são mostradas abaixo foram doadas por uma pessoa muito especial. Quando ganhamos as mandiocas ficamos maravilhados, pois cozinharam em apenas alguns minutos. Pedimos, então, algumas ramas para plantarmos. Em nossa região, valorizamos muito este alimento através do qual é possível fazer tantos pratos e produtos, como por exemplo farinha, polvilho, bolos variados, tapioca, nhoque, etc. 




segunda-feira, 9 de junho de 2014

Cajazinho - nova produção

Eis aí, uma nova leva de cajazinhos:

umasementepordia.blogspot.com.br

umasementepordia.blogspot.com.br

umasementepordia.blogspot.com.br

umasementepordia.blogspot.com.br

quinta-feira, 5 de junho de 2014

domingo, 1 de junho de 2014

Flor do deserto

A flor do deserto floriu!

umasementepordia.blogspot.com.br

E lá vem uma nova flor, em breve...

umasementepordia.blogspot.com.br

E outra, mais breve ainda...

umasementepordia.blogspot.com.br


sábado, 24 de maio de 2014

A cisterna e o pezinho de jiló

Desde a minha infância bebi água desta cisterna que hoje está cheia de entulho e terra:


Foi uma pena termos que tampá-la (jogar terra), mas fomos obrigados pelo "sistema", pelo "progresso" urbano, que nos aplicou uma multa e nos cobrava mensalmente pela água que vinha de nossa própria cisterna. 
Resolvemos usar o espaço para plantio. Dentre as plantas que aí  germinam há pelo menos um ano, nasceu um pezinho de jiló (este da foto acima). Ele cresceu, deu frutos e hoje já não existe mais. De um de seus frutos, peguei as sementes e plantei em uma sementeira. Nesta semana percebi o sinal: germinaram. Esperarei alguns dias para se desenvolverem mais, e depois mostro para vocês.

terça-feira, 13 de maio de 2014

Plantio de sementes de ata

Há algum tempo minha mãe ganhou alguns frutos de ata. Uma delícia, maravilhosas! Minha mãe gostou tanto que falou "Pudia plantar umas sementinhas!" Foi um recado para mim. Então, de todas as sementes que iria guardar no "banco de sementes" (uma caixinha de sapatos, na qual guardo as sementes separadamente em saquinhos com data e identificação), separei algumas para plantar:




Preparei a terra e de duas a duas, acomodei as sementes em buracos de mais ou menos 1 cm de profundidade. 




Demorou mais de mês e como não germinavam, resolvi replantá-las em alguns vasilhames de pet. Preparei os tijolos furados, restos de uma construção, para que os potinhos ficassem "em pé".  Mas depois de algumas semanas, aconteceu de alguns gatinhos que temos por aqui  fazerem umas estripulias e derrubarem todos as potinhos. 


E olha a carinha de inocente ... 

Pretinho (preto-filho) 

Pretão (preto-pai) 

Nit (o gato filósofo)

Nino (o gato sistemático)

Após alguns dias precisei de terra e revirei o local da arte. Qual foi minha surpresa: no meio da terra encontrei uma semente de ata germinada. Dei um sorriso largo e corri a plantá-la.
Felizmente, pelo menos uma semente vingou. 
Olha como está bonitinha: 






terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Jurubeba

 No domingo passado fui até a casa da Dirce para buscar um frango caipira que minha mãe tinha encomendado. Esta senhora vende frango caipira (do legítimo), queijos e polvilho. Levei a máquina fotográfica para tirar fotos dos pés de jurubebas que estão plantados em um lote ao lado, o qual ela tem acesso e vigia para o proprietário. Eu já sabia que os pés de jurubebas estavam carregadinhos, uma beleza, e também sabia que, infelizmente, o proprietário vai cortá-los em breve, pois irá construir em seu lote. Quis deixar aqui registradas algumas imagens: 







A flor é como uma  linda estrelinha de 5 pontas, vejam:


Enquanto fotografava, vi no chão uma mudinha. Pedi à Dirce e ganhei. As imagens abaixo mostram o plantio desta muda:
 








Uma história sobre Noni

No ano passado minha irmã ganhou alguns frutos de noni. Após fazer o suco, ela colocou as sementes em um prato e me disse que iria plantá-las. Depois de dois dias, as sementes grudaram uma na outra, formando uma massa e com mau cheiro. Ela me disse então que iria jogar todas aquelas "sementes fedidas no lixo", e me lançou um olhar (para sentir a minha reação), que foi imediata: "Nãooooo!" Ela então me deu aquela "massa", a qual desgrudei pacientemente, semente por semente, e depois as plantei.  

Eis as mudinhas:



Demorou algum tempo para os pezinhos germinarem e se desenvolverem tal como aparecem nestas imagens:


De todas as mudinhas, transplantei apenas estas. As outras foram doadas e estão por aí, desenvolvendo-se. 
:)

Atualmente, o pé de noni está assim:






Bonito, né?! 

Para informações sobre as propriedades do suco de noni, pesquisar aqui: https://pt.wikipedia.org/wiki/Noni