Google+ Seguidores

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

O coqueiro da escola

Estas fotos foram tiradas na época em que fotografei a horta da Escola Municipal Coronel Salomão Clementino de Faria, que se localiza perto de minha casa.
O pé de coqueiro estava carregadinho, vejam:


Entre nós, de Goiás, este tipo de coco é conhecido como "bacuri".


Olha aí, eles se formando:


Vejam as cores, quão belas são! Há tons de amarelo claro e roxo:



segunda-feira, 26 de novembro de 2012

A vagem da árvore Chuva de Ouro

Eis uma vagem da árvore Chuva de Ouro:





Desejo mostrar a vocês como é por dentro:


A casca é bem dura. Assemelha-se à casca de jatobá, entretanto é mais fina.


Verifiquei que as sementes ficam protegidas entre camadas de uma espécie de resina:



A resina é adocicada (eu provei); 
e à prova de fogo (tentei queimá-la com a finalidade de verificar se era inflamável). Pensava que seria o contrário, que pegaria fogo com facilidade, mas que nada, não queimou nenhum trisco, de jeito nenhum. 
Daí percebe-se como a natureza é cuidadosa.
O cheiro da resina é forte, mas doce. 



As sementes ficam muito protegidas. 
Ao retirá-las dos entremeios das camadas de resina, vi que são lisinhas e limpinhas.


Para visualizar a árvore, clique no link abaixo:



quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Desenvolvimento do pé de graviola

O pé de graviola cresce. 
Há muitas tentativas de frutos, mas quase todas as flores caem. 


Eis aí o terceiro fruto:


Algum tempo depois, mais desenvolvido:




Porém, o fruto que mais me surpreendeu foi este abaixo:


Ele veio doentinho, torto, pegou praga a ponto de ser preciso lavá-lo com escova de dentes (com cuidado), entretanto não caiu, não, não caiu... 
Quase não havia esperanças que fosse adiante. 
E que surpresa nos deu: foi o fruto mais sadio internamente e gostoso dentre os já nos dado (4 frutos)! 
A natureza nos ensina, sempre, bastando estarmos abertos a ela. 

Sobre a graviola:
"A graviola (Anona muricata) é uma planta originária das Antilhas, onde se encontra em estado silvestre. No Brasil, tornou-se subespontânea na Amazônia. Prefere climas úmidos e baixa altitude.
A graviola é uma árvore de pequeno porte (atinge de 4 a 6 metros de altura) e encontrada em quase todas as florestas tropicais, com folhas verdes brilhantes e flores amareladas, grandes e isoladas, que nascem no tronco e nos ramos. Os frutos têm forma ovalada, casca verde-pálida, são grandes, chegando a pesar entre 750 gramas a 8 quilogramas e dando o ano todo. Contém muitas espinhas, vermelhas, envolvidas por uma polpa branca, de sabor agridoce, muito delicado e considerados por muitos que o comeram semelhante ao fruto Abobora."
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Graviola 

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Transplantando as mudas de mogno

Há algum tempo, o que era  semente germinou e tornou-se maior. 
A jardineira ficou pequena e perdeu seu valor de berçário.
Foi preciso, então, transplantar as mudas, cada qual para a sua caixinha:  











E começando de novo: 
outras sementes de mogno para germinar:


Acomodadas à terra:


... e cobertas:



Aguardemos o novo ciclo, incansável (ainda bem) 
e presente, 
e sempre a nos parecer "novo",
e a nos surpreender.

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Em espiral

Vejam esta imagem:


Acompanhei a germinação desta plantinha desde que brotou da terra. 
As folhas nasceram abraçadas uma a outra e quando foram se abrindo percebi que estavam em espiral.
Fiquei fascinada!
Ainda não sei o que é (nem sei se saberei), pois nasceu no quintal sem a termos plantado. 


Ao ver esta plantinha, lembrei-me do formato de algumas galáxias. 
Busquei uma imagem para fazermos a comparação. 
Vejam:

Galáxia espiral NGC 1300, fotografada pelo Hubble

Fascinante, não?!

domingo, 4 de novembro de 2012

Germinação das sementes de abricó-de-macaco

Lembram das sementes de abricó-de-macaco?

Olhem elas aí, germinando:


E eu achando que iriam demorar para nascer. Que nada! Em 2 semanas deram as folhinhas à luz! 
Muito espertinhas essas meninas (as sementes)! 



sábado, 3 de novembro de 2012

Desenvolvimento do pé de conta-de-lágrima

Há algum tempo postei aqui um conteúdo sobre a conta-de-lágrima:

Vejam como ficou um dos vários pés que vingaram (sobreviveram):








Curiosidade: Dei uma das mudinhas para a amiga Cida e ela me disse que a Chanina (sua gatinha de estimação) adora comer as folhas do pé de conta-de-lágrima.