Google+ Seguidores

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

A lua e o plantio

A amiga Cida me ligou hoje (17/01) e perguntou-me se eu tinha mudas de couve para lhe ofertar, pois ela desejava fazer o plantio visto que a lua está em boa fase. Infelizmente não tinha, mas iniciamos uma conversa sobre fases da lua relacionadas à agricultura. Ela então me sugeriu fazer uma postagem no blog sobre o assunto. Encontrei um belo texto ao pesquisar na internet. Infelizmente está sem autoria. Exponho abaixo alguns fragmentos:  

 LUA E PLANTIO 




A Lua governa todos os tipos de fertilidade e todos os ciclos de crescimento. A atração magnética que exerce sobre a terra influencia o volume da seiva circulando no interior das plantas e vegetais. Plantar de acordo com as fases da Lua e com a natureza do signo em que ela se encontra é bastante produtivo. 

FASES DA LUA

Segundo o astrólogo Jim Maynards no seu Celestial Guide, o ciclo crescente da Lua (da Nova até a Cheia - fase iluminada) é bom para plantar, fazer enxertos ou transplantes de plantas anuais (anual é um tipo de plantio que completa um ciclo inteiro numa única estação e que precisa ser replantada a cada ano).

No ciclo após a Lua Cheia (minguante - na fase menos iluminada) é melhor podar e plantar bienais, plantas perenes, bulbos e raízes (bienais incluem plantas que são cultivadas numa estação e só são colhidas no próximo ano e na mesma estação). As plantas perenes, bulbos e raízes incluem todos os cultivos que crescem da mesma raiz ano após ano.

O último quarto minguante (logo antes da Lua Nova) é melhor para lavrar e cultivar o solo para eliminar ervas daninhas e pragas.

Uma regra simples mas preciosa é que o cultivo de plantas aéreas (que crescem sobre o solo) é feito durante a Lua Crescente e o cultivo das plantas subterrâneas (que crescem sob o solo) deve ser feito durante a Lua Minguante.

O astrólogo Llewellyn no seu Moon Sign Book nos dá maiores detalhes sobre cada fase da Lua.

1º Quarto Crescente:

Plantas anuais que dão seus frutos sobre o solo cujas sementes crescem na parte externa das plantas e que tem muita folhagem são as mais favorecidas para o cultivo nesta fase. Ex.: aspargos, brócolis, couve flor, alface, espinafre, repolho, couve, agrião, salsa, pepino, endívias, chicória e escarola.

2º Quarto Crescente: 

Plantas anuais que crescem acima do solo, mas que produzem suas sementes na parte interna do fruto. Ex.: tomate, feijão, fava, beringela, melão, abóbora, pimenta, ervilha, etc.

Alho, cereais e grãos podem ser plantados tanto na primeira fase quanto na segunda fase do Quarto Crescente.

3º Quarto Minguante:

Ideal para o cultivo de plantas bienais, perenes, bulbos e raízes. Ex.: cenoura, cebola, batata, morango, framboesa, uva, rabanete, beterraba, nabo, trigo.

4º Quarto Minguante:

Uma boa fase para corte de madeira. (...)


sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Nosso pé de laranjinha (ou 'laranja de ouro" ou "kinkan")

Vejam como está carragadinho o nosso pé de larajinha:


A imagem acima é bem anterior a estas abaixo, que já mostram as laranjinhas amadurecendo:



São comestíveis, inclusive a casca. 


O suco desta pequena frutinha fica cremoso, diferente do suco feito com laranja comum. 




Para mais informações sobre esta preciosa frutinha, leiam a matéria:  
08/10/2007 - 13h14

Kinkan é "laranja de ouro" vinda da Ásia

IARA BIDERMAN
Colaboração para a Folha


Em tempos de culinária globalizada, tudo é possível. Até um chef francês utilizar uma fruta asiática para dar um toque brasileiro a um prato típico da gastronomia francesa.
A receita é confit de pato, ao qual Steven Kerlo, chef do restaurante Mercearia do Francês, em São Paulo, acrescentou o molho de laranjinha kinkan.
"Pato com laranja é um clássico na França. Usei a kinkan para transformá-lo de acordo com as influências gastronômicas que recebi no Brasil", diz Kerlo. Mas kinkan não é uma fruta da China e do Japão? Sim, mas o chef só conheceu o ingrediente quando se mudou de Paris para São Paulo, há oito anos.
Maria do Carmo/Folha Imagem
Receita de confit de pato fica perfeita com molho de kinkan
Receita de confit de pato fica perfeita com molho de kinkan
A provável origem da fruta é a China, de onde se espalhou para outros países da Ásia, principalmente o Japão. "Kumquat" ou "chin kan", em chinês, e kinkan, em japonês, significam "laranja de ouro".
Mas não é exatamente uma laranja. Eduardo Stuchi, pesquisador da Embrapa Mandioca e Fruticultura Tropical, explica que a espécie pertence ao gênero Fortunella, e não ao Citrus (que inclui laranjas e tangerinas, entre outras). A kinkan apresenta alguns diferenciais, como a menor quantidade de gomos, a casca mais fácil de digerir e a proporção entre teores de açúcar e grau de acidez.
Kerlo considera essas características muito interessantes para criações gastronômicas. "É possível usá-la em molhos ácidos, que equilibram o sabor de pratos com carnes gordurosas ou aves de caça. Como é colocada inteira, com casca e tudo, o efeito visual é bonito."
Acredita-se que a "laranja de ouro" chegou ao Brasil com a primeira leva de imigrantes japoneses. Mas os portugueses já conheciam a fruta na época do Brasil Colonial --há registros do século 17 em que missionários portugueses na China descrevem a fruta. Seja como for, é nas áreas onde os japoneses se estabeleceram que a kinkan é mais cultivada. No Brasil, as principais regiões produtoras ficam em São Paulo.
Degustar a kinkan em forma de caldas, molhos ou compotas é o mais comum no Brasil, acredita Marcio Seije, professor de gastronomia do Centro Universitário Senac. "Os japoneses a consomem mais in natura, com casca e tudo. No Japão, onde a maioria das frutas custa muito caro, a kinkan é barata e muito popular. Diz a lenda que é uma fruta que traz felicidade", conta Seije.
Além de felicidade, pode trazer saúde. A kinkan é rica em vitamina C (151 mg/100 g), cálcio (266 mg/100 g), potássio (995 mg/100 g) e boa fonte de vitamina A, fósforo e outros micronutrientes.


(Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/folha/comida/ult10005u334808.shtml)

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Pimentas, pimentas e mais pimentas

Estamos com boa safra de pimentas no quintal. No total, são três as qualidades:

Pimenta dedo-de-moça:




Pimenta bodão:



Pimenta roxa: