Google+ Seguidores

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Semente de pitangueira em processo de germinação

As sementes da pitanga são assim, redondinhas:




Encontrei uma sementinha germinando e desejei mostrar para vocês. 
Vejam:



 





O caule é bem forte. É até difícil retirar do chão:



Um pezinho um pouco mais desenvolvido e, junto, a sementinha germinando:


Eles são tão fortes, que brotam até entre concreto:  



Observação: 
Dedico esta postagem a um leitor deste blog que me perguntou se eu tinha uma imagem de semente de pitangueira germinando. É para você, Enio! 

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Sementes de trepadeira

Esta trepadeira foi plantada através de um ramo, uma muda: 



Depois de anos, esta planta nos surpreendeu (a mim e à minha família) ao produzir vagens:




Depois das vagens secas, colhi uma para ver se havia sementes. Dito e feito. Vejam:


Olhem, que beleza!




Plantarei algumas sementes para ver se germinam.  





terça-feira, 23 de julho de 2013

Abóbora

As hortas das escolas ficam um pouco abandonadas nas férias escolares, infelizmente. Porém, na escola onde minha irmã trabalha a história é outra, pois ela se incumbe de ir até lá e dedicar às plantas a atenção e cuidados necessários. Outro dia a acompanhei. Ao chegar lá e andar por entre as variedades de plantações: cebolinha, salsa, rúcula, mostarda, mandioca, verifiquei esta bela surpresa: 


A pequenina abóbora se desenvolve, plena, no silêncio das férias escolares.


São dois pés de abóbora, como se pode ver na imagem abaixo:


As flores estão viçosas e indicam que mais frutos virão:



domingo, 7 de julho de 2013

Cajazinho

Minha irmã ganhou uma semente de um tipo de mini-cajá. 
Ela plantou e a semente germinou, o pezinho floresceu e está com frutos. 
Vejam:






sábado, 13 de abril de 2013

Desenvolvimento das sementes de "Flor do museu"



Vejam como estão crescendo!
De pequeninas sementinhas 
(lembram-se como são pequenas? http://umasementepordia.blogspot.com.br/2013/02/flor-do-museu.html), o verde ... e em breve as flores do museu nos suscitarão um sentimento bom. 
Mas antes serão transplantadas para o chão. 
Logo logo faço uma nova postagem com esta ação.

quarta-feira, 6 de março de 2013

Sobre a poda de árvores

Um leitor deste blog, Marco Aurélio, fez uma pergunta sobre o tipo ideal de poda e a época certa para a poda da árvore pata-de-vaca. Tal questão fez-me ir em busca de uma resposta, pesquisando em vários sites. Um deles chamou-me a atenção, o Portal São Francisco, pois trazia interessantes informações sobre poda, as quais exponho alguns fragmentos abaixo:

"(...)

5. TIPOS DE PLANTAS

As plantas de folhas perenes serão podadas no período que vai do térmico da frutificação à emissão de novos brotos.
As plantas caducifólias ( que perdem as folhas em certas épocas do ano) serão podadas na sua fase de repouso, que poderá coincidir ou não com o inverno.

ÁRVORE DE CLIMA TEMPERADO

O repouso vegetativo ocorre quando as essências perdem as folhas, o que também pode ocorrer com o inverno.

ÁRVORES DE CLIMA TROPICAL

Estas árvores perdem as folhas durante o inverno ou qualquer outra época do ano. Após este repouso, surgem os botões florais, depois novas folhas e frutos. Trata-se pois de um repouso apenas aparente, uma vez que a árvore estava preparando-se para o reflorescimento. Uma poda nessa fase de repouso seria desastroso para a resistência da árvore.
Havendo dúvidas as árvores devem ser podadas somente após as floradas.
Os exemplos mais típicos dessas essências são:
Ipê Amarelo - Tabebuia Heptaphylla
Ipê Branco - Tabebuia roseo-clara
Ipê Roxo - Tabebuia longiflora
Figueiras brasileiras em geral
Bauinia Branca ou unha de vaca branca - Bauhinia Bongardi
Bauinia Roxa ou unha de vaca roxa - Bauhinia Variegada
Bauinia Africana - Bauhinia Blaheana

6. COMO EFETUAR OS CORTES

a. O corte deve ser sempre acima de uma gema vegetativa, pois se ficar um tronco acima da gema, esta apodrecerá, podendo comprometer toda a planta.
Podagem de Árvores
b. O corte sempre deve ser feito inclinado para facilitar o escoamento da água, em bisel de 45°, para fora da gema.
Podagem de Árvores
Por motivos econômicos, só se pincela as áreas dos cortes com produtos especiais (elastomêros, alvaiade, calda bordaleza, fitilho, mastique etc.), em caso de ramos grossos de árvores de alto valor.
Essa operação tem que ser feita com muito critério pois embora proteja o local contra infecções, atrasa muito o tempo de cicatrização, o que às vezes aumenta o risco do aparecimento de infecções.
A poda de árvores em locais onde existir condutores elétricos devem ser realizadas de maneira a não deixar galhos acima dos condutores primários (AT) ou em posição que o vento possa fazer tocá-los no condutor.

7. PODA EMERGENCIAL

É a poda executada em ramos de árvores visando livrar a fiação elétrica em situação crítica (temporais, curto-circuito etc.).

PODA PARCIAL EM V

Visa eliminar os ramos que estão prejudicando a fiação elétrica primária e/ou secundária. A figura mostra a poda em "V" com afastamento para a rede primária.
Podagem de Árvores

PODA PARCIAL EM FURO

Visa eliminar os ramos que estão prejudicando a fiação elétrica secundária (baixa tensão).
NOTA
Normalmente a poda é executada em "V". Posteriormente a árvore se recompõe fechando a copa de modo a tomar a forma de um furo. Somente em copas muito densas é possível executar de inicio a poda em furo.
Podagem de Árvores

PODA PARCIAL DE AFASTAMENTO SECUNDÁRIO

Visa eliminar os ramos que estão próximo da fiação da rede elétrica secundária 
( baixa tensão).
Podagem de Árvores
NOTA
As podas em "V" em "FURO" e de afastamento, são podas emergenciais e não habituais.
A poda complementar de conformação ou contenção sempre são executadas pelas Prefeituras Municipais.
A distância dos condutores aos galhos deve ser de no mínimo 2m para a ALTA TENSÃO e 1m para a BAIXA TENSÃO.
Podagem de Árvores

8. CORTE COM TESOURA

O ato de cortar com tesoura, a lâmina fina deve ficar sempre do lado da gema
Podagem de Árvores
Na suspensão de ramos, a lâmina da tesoura deve ser inserida no ângulo fechado do ramo, para que o corte seja adequado.
Podagem de Árvores
Na poda procurar eliminar os ramos:
1. Ramos ladrões
2. Verticais que obstruem a copa
3. Ramos cruzados que se roçam
4. Pendentes inadequados
Podagem de Árvores
Na poda de um ramos de maior diâmetro, a seqüência operacional correta é a que se segue:
Podagem de Árvores

9. EXECUÇÃO DA PODA

Procedimentos a serem seguidos:
a. Verificar a distância dos galhos até as redes de baixa e alta tensão.
b. Verificar a distância de trabalho em relação a rede.
c. Verificar se os galhos a serem cortados tem possibilidade de atingir os condutores ou se distância de trabalho é inferior a 60 cm em Redes de 13.800 volts. Nestes casos a rede de alta deverá ser desligada, ou realizar a poda por profissionais especializados em serviços com linhas energizadas ( Linha Viva).
d. Apoiar firmemente a escada sobre a árvore ou galhos que ofereçam a necessária resistência e amarrá-la. Solicitar a um auxiliar para segurar firmemente a escada antes da amarração.
e. Subir na escada levando a corda de preferência com carretilha, presos ao cinturão de segurança.
f. Prender o cinturão em volta de um galho resistente, que possa suportar o peso do empregado que irá executar a poda.
g. Instalar uma linga (estropo) em um galho grosso ou tronco da árvore.
h. Fixar a carretilha na linga.
i. Içar as ferramentas necessárias.
j. Cortar os galhos menores com a tesoura para poda.
k. Amarrar os galhos grandes com as cordas e cortá-los.
l. Tanto o podador quanto o ajudante que se encontra no solo, devem estar atentos para não serem atingidos pelos pedaços de árvore que forem seccionadas.
m. Finalizada a poda, retirar a escada e amontoar os galhos junto ao meio fio ou local de trabalho, para serem posteriormente recolhidos e removidos para local previamente estabelecidos.

10. CUIDADOS NA PODA DE ÁRVORES COM REDES SECUNDÁRIA E/OU PRIMÁRIA ENERGIZADAS

a. Utilizar equipamentos hidráulicos com lança e cestas isoladas ( caso não possuam solicitar a CONCESSIONÁRIA de energia elétrica).
b. Estacionar o veículo de tal modo que os galhos cortados não caiam sobre a cabine do veículo após o corte.
c. Proteger os condutores elétricos secundários com coberturas flexíveis no sentido de baixo para cima, e finalmente o do meio.
d. Instalar as coberturas nos condutores fora do alcance dos galhos e depois desliza-las sobre esses condutores, usando-se tantas quantas forem necessárias para isolar o trecho sob alcance dos galhos.
Podagem de Árvores
e. Com o bastão podador ou alicate hidráulico , o empregado deverá proceder o corte dos galhos.
f. Finalizada a poda, retirar as coberturas dos condutores no sentido inverso a instalação.
g. Amontoar os galhos junto ao meio fio ou local previamente determinado.
Se necessário proceda a amarração dos galhos.
Podagem de Árvores
Podagem de Árvores

 

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Flor do museu

Há algum tempo fui visitar o MAG (Museu de Arte de Goiânia). Quando lá estava, conversando com a minha irmã que trabalha na sala do acervo, escutei uns barulhinhos, uns estralinhos. Perguntei a ela que barulho era aquele. Surgiu, então, à porta da sala do acervo, uma amiga de minha irmã que me explicou a origem: eram as vagens de uma flor que estavam estourando com a finalidade de espalhar para longe as suas sementes. Fiquei muito interessada e saí da sala para ver a planta. No MAG há uma estufa, uma grande claraboia, embaixo da qual existem diversas espécies de flores. Uma delas é esta, que passei a denominar de "flor do museu": 



Eis as sementes:




E eis as vagens nas quais as sementes se desenvolveram: